Dia 25 de Junho se comemora o Dia do Imigrante. Saiba mais!

O Dia do Imigrante surgiu a partir do decreto nº 30.128 realizado em 14 de junho de 1957. A data, por sua vez, foi escolhida para coincidir com o fim das celebrações da semana de imigração japonesa e até hoje carrega uma importância inegável dentro de nossa história.

O Brasil, desde a abertura dos portos em 1808, declarada por Dom João VI, tornou-se um dos países que carregam em sua cultura uma diversidade étnica e cultural, consequente da miscigenação dos povos, que aconteceu após a chegada de italianos, alemães, ucranianos, poloneses, entre outros, para a obtenção de terras dentro do país.

Um dos resquícios que comprovam o acontecimento das imigrações é a existência de mais de 20 milhões de pessoas dentro do Brasil que possuem algum grau de descendência italiana, por exemplo.

A importância da comemoração do Dia do Imigrante

Atualmente, segundo dados do CONARE (Comitê Nacional para Refugiados) os índices de imigrantes no Brasil se concentram em maior parte entre refugiados venezuelanos, congoleses e sírios.

A imigração no Brasil não aconteceu apenas pelos interesses materiais dentro do país, mas também pela quantidade de refugiados que se abrigaram (e ainda abrigam) nossa nação. O dia do imigrante celebra e comemora a vida dessas pessoas. 

Inclusive, também em junho, no dia 20, comemora-se o Dia do Refugiado. Data para pensar e discutir o tema na sociedade.

Você sabia?

  • 34% dos refugiados concluíram o ensino superior em seus países de origem;
  • Em São Paulo há o Museu dos Imigrantes, criado para contemplar as memórias da história da imigração no país;
  • Em 2021 foram constatados 986.919 mil imigrantes no Brasil..

Como falar de imigração e refugiados com meus filhos?

Faz parte do processo de educar nossos filhos ter que falar sobre temáticas complexas, afinal, é melhor saberem por nós que somos pais, do que por outra pessoa. Visto isso, preparamos dois livros para você ler para seus filhos que podem ser essenciais para ajudá-lo a entender mais sobre o assunto de forma descontraída e emocionante.

O Haiti de Jean

O enredo dessa história se baseia na família de Jean, um garoto cujo pai tentava buscar um lugar melhor para ele e sua família viver, visto que após um fenômeno natural destrutivo dentro do país, habitar o local se tornou algo perigoso.

A narrativa emocionante mostra as dificuldades da população haitiana e demonstra a partir de uma perspectiva ampla as dificuldades das pessoas de recomeçar após uma tragédia que afetou uma nação inteira.

O Haiti de Jean é um livro de superação e determinação, uma ótima oportunidade para introduzir o assunto aos pequenos!

Layla, a menina síria

Por causa da guerra na Síria, Layla e sua família tiveram que deixar o país. A história mostra os desafios de recomeçar tudo do zero em um novo local, o Brasil. A narrativa é contada pela própria Layla e mostra como a menina precisou lidar com memórias tristes e se adaptar à nova realidade.

O livro Layla, a menina síria contempla uma situação muito comum para quem é imigrante e refugiado. Dessa forma, destrincha não só a situação como também os sentimentos de quem passa por isso, uma ótima história de ler para seus filhos.

Gostou das nossas super dicas? Aqui no Livríssimo você encontra isso e muito mais! Fique de olho nos nossos artigos e se prepare para ler os melhores conteúdos sobre educação infantil, livros e elementos que permeiam a construção do indivíduo como ser dentro da sociedade!

[+] LEIA MAIS

Brincalelê! Somos gotinhas de um mesmo oceano!

Brincalelê! Nossa família inventadeira de histórias. Histórias que viram brincadeiras, brincadeiras que viram histórias, com dicas de Penélope Martins

Somos gotinhas de um mesmo oceano!

Imagine que tarefa difícil é tentar contar gota a gota do oceano. Impossível! Bom, então o jeito é pensarmos nas milhões de gotas conversando entre si sobre a história dessa família gigantesca de águas salgadas.

Quanta coisa as águas enxergam por dentro dos oceanos, não é mesmo? É por isso que a gente conta histórias fantásticas e maravilhosas: a imaginação nos surpreende avançando por lugares onde a realidade não dá conta de visitar.

Nos livros podemos encontrar experiências transformadoras de uma maneira lúdica, divertida, aliando a lógica ao imaginário.

Mas, será que podemos pensar assuntos sérios no meio de tanta invencionice? Será que podemos mergulhar nos oceanos das narrativas para investigar a fundo o que está acontecendo em nosso planeta e compreendermos qual o nosso papel nas questões de meio ambiente? Veja com a gente a seguir!

Vamos nessa? É hora de juntarmos as gotinhas para contar histórias brincando de cientista do planeta

Primeiro passo: 

Convide as crianças para uma visita guiada pela cozinha de casa e separe alguns utensílios interessantes, converse sobre os materiais utilizados para fazê-los e proponha um jogo com a seguinte pergunta: se você fosse inventar uma máquina maluca para a cozinha de casa, o que esse aparelho fantástico faria?

Lembre-se de ajudar os cientistas mirins a inventar máquinas que ajudem a preservar o meio ambiente economizando água, por exemplo, ou reaproveitando os restos de alimentos!

Segundo passo:

Proponha uma experiência para as crianças a partir de um delicioso suco de frutas. Deixe os cientistas misturarem sabores, afinal de contas, a cozinha é um laboratório!

Depois de preparar o suco e, é claro, compartilhar para que todos saboreiem, proponha a lavagem dos copos de olho na economia da água e no uso correto do sabão sem exageros, abrindo e fechando a torneira entre um ensaboar e outro. 

Terceiro passo: 

Depois dos copos lavados, pergunte para as crianças se elas imaginam o que acontece com todas as águas do planeta.

Assim, conte sobre as águas dos rios que vão desaguar nos oceanos e inclua nessas águas as tubulações de esgotos que saem das pias das cozinhas e dos ralos que se encontram espalhados por diversos lugares da casa.

Quarto passo: 

Faça um exercício de imaginação com experiências simples. A primeira delas pode ser colocar dentro de uma bacia com água os restos das frutas utilizadas no suco. Pergunte se as crianças imaginam o que acontece com o lixo que polui os rios e navega até os oceanos. Questione também, se somos capazes de gerar menos lixo no planeta. 

Quinto passo: 

Para as crianças compreenderem o ciclo da água dentro da cozinha de casa, prepare uma segunda experiência.

Separe uma frigideira, uma tampa de panela que encaixe sobre ela e coloque sobre um prato algumas pedrinhas de gelo. Deixe a frigideira sobre uma boca acesa do fogão até ficar bem quente, depois coloque uma pedrinha de gelo de cada vez para derreter, e tampe.

A água da pedra vai derreter e virar vapor se transformando numa pequena nuvem até formar gotinhas, novamente. Será que as crianças conseguirão imaginar como a natureza faz a chuva?

Troféu cientista do planeta:

Todos juntos, em família, podem colorir a experiência com desenhos de oceanos saudáveis povoados com peixes e outros seres diversos. Em seguida, um lanchinho com chá aconchegante fará o convite para uma leitura que alimentará a imaginação dessa turma de pesquisadores. Será que tem um oceano de histórias na sua estante de casa? 

Nossa dica de leitura brincalêle!

O livro “Como oceanos nos erguemos”, da autora inglesa Nicola Edwards foi um dos grandes destaques da Feira Literária de Frankfurt em 2019 e seu lançamento ocorreu de forma simultânea em vários países – a tradução da edição brasileira ficou a cargo de Nara Vidal e da Editora do Brasil.

Impresso em capa dura, com acabamento especial em relevo, o livro ilustrado pela neozelandesa Sarah Wilkins traz uma potência de reflexão sobre o meio ambiente.

É um chamado para que todos se unam em prol de um objetivo comum: o de ajudar a Terra, afinal de contas, somos gotinhas de um mesmo oceano!

Divirtam-se!

[+] LEIA MAIS

Conheça a brilhante história de Frida Kahlo

Com certeza você já ouviu falar no nome Frida Kahlo, mas se ainda não conhece de fato a brilhante história dessa importante pintora mexicana, chegou a hora. Confira conosco os detalhes da sua trajetória!

O nome “Frida” na verdade é artístico, no papel a pintora  se chamava Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón e só começou a pintar após uma série de eventos traumáticos que a impossibilitaram de andar. 

Após contrair poliomielite aos seis anos e tempos depois, sofrer um grave acidente, Frida passou a utilizar o pincel e as tintas como refúgio para o estado deprimente em que se encontrava. Foi a partir daí que decidiu cursar desenho e modelagem na escola nacional preparatória do México e conheceu seu futuro marido, Diego Rivera.

O casamento 

Ao casar-se com Diego, morou durante um bom tempo na “casa azul”, que foi o local onde nasceu. No decorrer dos anos, acompanhou seu marido nas exposições em que ele fazia.

A história com Diego foi turbulenta, separando e voltando algumas vezes, findou definitivamente o relacionamento e alavancou a sua carreira com exposições em Nova Iorque e Paris, juntamente a nomes famosos como o de Pablo Picasso e Wassily Kandinsky.

A superação das dificuldades

Mesmo com as dificuldades apresentadas por sua condição física Frida continuou pintando. Ela usava um colete ortopédico que permitia que a pintura de seus quadros fossem realizadas.

Sua arte era caracterizada por auto retratos e cenas imaginárias, sendo uma característica latente e admirada no mundo artístico daquela época. Em sua trajetória Frida Kahlo também foi uma importante figura dentro do movimento feminista.

A voz ativa dentro da sociedade

Se opondo contra as impressões do senso comum a respeito do que era feminino ou masculino, Frida sempre que podia, deixava bem claro o que pensava sobre o assunto.

Em um retrato de família vestiu-se “como um homem” e se recusou a disfarçar os seus traços masculinos (deixando os pelos do buço e da sobrancelha crescerem),  mesmo assim reafirmava que isso jamais deixaria ela menos mulher do que já era.

Seus fortes posicionamentos e amor por si própria se perpetuam até os dias de hoje, já que a força e coragem inspiraram e ainda inspiram milhares de pessoas no mundo todo.

Da casa azul para a história

Seus últimos anos foram na casa azul, mesmo lugar em que nasceu e viveu boa parte de sua vida. Hoje, o local é um museu que leva seu nome, sendo um memorando de sua vida e maiores obras feitas.

O que a história de Frida pode nos ensinar?

A história de Frida nos ensina diversas coisas importantes para nossa vida. Nos leva a entender e ver as situações com outra perspectiva. Além de ser um símbolo de força e coragem, a vida da artista é um grande ensinamento por si só, que pode ser levado para nossas crianças.

Frida e a joaninha Flora

Na nossa lojinha virtual você encontra uma obra mais do que divertida para as suas crianças que, além de contemplar a grande história de vida da artista mexicana, mostra a ambiguidade de suas artes.

Com o objetivo de influenciar o lado artístico do leitor, o livro Frida e a joaninha Flora conta a história de uma joaninha que ao pousar em um quadro, se vê parte de uma obra de arte. Além de passear pela essência de Frida, a presença de atividades lúdicas para as crianças interagirem com os textos torna tudo ainda mais interessante. 
Legal, não é? Se você gostou de saber mais sobre a história de Frida Kahlo e quer presentear os seus pequeninos com esse super livro, é só acessar a nossa biblioteca virtual e adquirir agora mesmo a obra para seus filhos. Vai que assim desperta o artista que há neles!

[+] LEIA MAIS

Cinco mitos sobre a leitura na infância que você precisa saber

A leitura na infância é um elemento fundamental para o desenvolvimento da criança tanto em termos de alfabetização, quanto nos quesitos relacionados à aprendizagem e formação do indivíduo como ser social.

Entretanto, para algumas famílias há certa obscuridade rondando o tema, pois muitos mitos são ditos e reditos sobre a leitura na infância. Neste artigo, vamos desmistificar alguns deles para que você saiba realmente o que é verdade e o que não é.

Confira com a gente cinco mitos sobre a leitura na infância!

1. Livros para crianças não podem abordar temas complexos

Quando falamos sobre livros infantis é comum relacionarmos o objeto ao ato da contação de histórias, leituras de fábulas e histórias fofas. Porém, temas complexos não só são necessários de serem abordados como são imprescindíveis para formação do sujeito.

A melhor maneira de educar nossos filhos utilizando os livros é usando os mesmos para induzir assuntos difíceis de serem lidados no decorrer da vida, assim, preparamos nosso pequeno leitor para temas importantes desde cedo. 

Além disso, a infância é a fase mais complexa da vida humana, nela, somos expostos a diversas emoções que se fazem presentes pelo resto de nossas vidas. Entendê-las e aprender mais sobre faz parte da construção da criança como um indivíduo e ser único dentro da sociedade.

2. Leituras com imagens são mais eficientes para o processo de alfabetização

Há quem diga que, para crianças pequenas, o melhor tipo de leitura é aquela que contém um número máximo de imagens dentro de seu texto. Acontece que, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Apesar das imagens auxiliarem na associação do conteúdo elas não são o elemento principal para o processo de alfabetização. Aprender a ler e a escrever depende do hábito da leitura, assim como da prática de algumas “técnicas facilitadoras do processo”.

Estas podem ser:

  • Ler em voz alta;
  • Variar entre gêneros literários;
  • Tornar a leitura um hobby.

3. Incentivar a leitura na infância é dar vários livros para meu filho

Incentivar a leitura na infância é muito importante para o desenvolvimento da criança. Dessa forma, o que muitos pais fazem ao saber deste fato é comprar livros para seus filhos e dar de presente para eles. Porém, o incentivo deve ir muito além disso.

Cientes da importância da leitura, os pais devem praticá-la juntamente com as crianças. Seja lendo em voz alta, perguntando sobre a história ou propondo atividades interativas de acordo com o enredo do livro, essa ação precisa ser feita em conjunto.

O hábito da leitura raramente surgirá diante de suas próprias vontades, por isso, o papel dos pais é de suma importância e a leitura desde cedo deve ser incentivada de formas amplas.

4. Livro infantil deve conter histórias fofas e cores alegres

Assim como o mito de que histórias infantis não podem abordar temas complexos, existe também o de que os livros infantis devem conter histórias fofas e cores alegres. Visto que a infância é vista como uma fase ingênua, há o senso comum que tudo o que é necessário ser abordado nessa faixa etária deve ser condizente com a inocência e felicidade da vida.

Contudo, isso precisa sim acontecer, mas não significa que você não pode ler um livro para o seu filho que possua cores escuras ou que abordem personagens do mal ou algo do tipo. Esses elementos fazem parte da literatura — e da vida — e ao contrário do que muitos pensam, não são prejudiciais à criança.

5. Conforme a idade aumenta, o número de páginas lidas também precisa aumentar 

A quantidade de páginas não tem relação com a expertise da criança em relação à leitura. Ler mais não torna o indivíduo mais inteligente do que outro que lê menos, por exemplo.

Isso, por sua vez, pode variar de acordo com a subjetividade de cada pessoa. Assim como nós adultos às vezes preferimos ler algo objetivo e menos extenso, as crianças às vezes podem preferir também. Já outras, podem se interessar por livros grandes e histórias maiores. Contudo, isso não se correlaciona com a idade do indivíduo.


Interessante, não é mesmo? A leitura na infância pode proporcionar experiências incríveis para o seu filho. Que tal incentivar esse hábito dentro de casa? Entre na nossa lojinha virtual e adquira as melhores histórias para ler junto com seu filho!

[+] LEIA MAIS

Confira algumas dicas de livros sobre famílias

Falar sobre família nem sempre é fácil, e de forma geral, é um assunto complexo e que necessita de muita sabedoria para ser introduzido. O que fazer quando meu filho me pergunta sobre o significado de tudo? Precisamos explicar de alguma forma, certo? Que tal  usar livros sobre famílias?

Você sabia que a partir da leitura podemos contar histórias e engajar nossos filhos sobre os mais diversificados assuntos? 

A literatura, no processo de educar as crianças, possui um papel muito importante. Pensando nisso, separamos as melhores dicas de livros sobre famílias para abordar assuntos importantes relacionados a este tópico.

Confira aqui os melhores livros sobre família

Um pai de verdade

Aceitar um padrasto dentro da família na maioria das vezes é uma situação complicada. Em “Um pai de verdade”, Pedro Bloch conta a história de Rafael, uma criança de sete anos que escrevia cartas para o pai que nunca conheceu.

Rafael vivia com a sua mãe e irmã, até que surge Renato, namorado de sua mãe.

O enredo baseia-se no fato de que Renato se torna um pai para Rafael, o que modifica as emoções do menino, que antes escrevia para o seu pai imaginário e agora não sente mais essa necessidade pela presença e afeto dado por Renato.

Este livro aborda uma temática importante e que salienta que pai é quem ama, cuida e está sempre presente emocionalmente e fisicamente!

um-pai-de-verdade-livro

A árvore contente

Como explicar para nossos filhos o que é família e o que não é? Muitas crianças se sentem confusas ao serem questionadas sobre quem são a sua família e esta situação, por sua vez, é extremamente bem representada na obra ”A árvore contente”.

Dentro da escola, uma atividade foi passada: desenhar a sua árvore genealógica.

Contudo, as crianças não sabiam onde colocar a nova esposa do papai e o irmão que acabou de nascer mas é de outra mãe, entre outras situações semelhantes.

O intuito deste livro sobre família é apresentar as diferenças existentes em cada lar e falar sobre o amor. No caso, na árvore genealógica das crianças teria espaço para cada membro da família citado!

a-arvore-contente-livro

Enquanto você não chega

Como lidar com a chegada de um novo irmãozinho? Em “Enquanto você não chega”,  um novo bebê está a caminho, o irmão empolgado com a notícia arranja uma maneira especial de apresentar os parentes ao seu novo irmão.

O autor aborda as relações familiares e mostra como pode ser interessante ter um novo membro chegando na família.

enquanto-voce-nao-chega-livro

De onde eu vim?

No livro “De onde eu vim?”, escrito por Odette de Barros Mott, uma temática importante é falada: filhos adotivos. Rogério, uma criança de 10 anos descobre por acaso que é filho adotivo e resolve fugir de casa. 

Nessa fuga, encontra seu amigo Paulo, que lhe conta o verdadeiro sentido de família e o ajuda a entender mais sobre a sua história e suas relações familiares.

de-onde-eu-vim-livro

Vida que segue

O autor Luís Pimentel aborda dentro de “Vida que segue” a resposta de um dos maiores questionamentos das crianças:  o que faz uma família de fato ser uma família? O livro conta a história de Pedrinho, que sempre sonhou em conhecer o seu pai biológico, mas quando o conhece, suas expectativas não são supridas.

O principal intuito do livro é mostrar que apesar de coisas ruins, a vida segue. A delicadeza em que o assunto é abordado e os ensinamentos presentes dentro dos textos valem a leitura.

Interessante, não é mesmo? Com essas super dicas será fácil abordar assuntos que exigem mais delicadeza de nossa parte! Os livros sobre famílias são uma ótima oportunidade para conversar com nossos filhos sobre os tópicos pertinentes dentro do tema proposto.

vida-que-segue-livro

Todas as dicas de livros citadas estão dentro da nossa lojinha e você pode adquiri-los facilmente! Que tal dar uma olhada?

[+] LEIA MAIS

Top 6 filmes para ver em família!

Você já ouviu falar em tempo de qualidade? Essa é uma das formas em que você pode demonstrar afeto a uma outra pessoa e fazê-la se sentir amada. Existem diversas maneiras de criar esse tempo de qualidade e a melhor delas, sem dúvida, é assistindo um filminho juntos. Melhor ainda se forem filmes para ver em família!

Como assim? Os filmes para ver em família são as melhores opções para quem quer de fato aproveitar a companhia dos filhos e se divertir com eles de forma leve e descontraída.

Para te ajudar a saber por onde começar a curtir, separamos as melhores dicas do que  você pode ver em casa, com todo mundo reunido.

Os melhores filmes para ver em família

1. Madagascar

A narrativa da história se dá com um grupo de animais que são amigos e vivem em um zoológico, em Nova York. Após Marty, a girafa, fugir e ir para a cidade, seus amigos se sentem na obrigação de ir procurá-lo e acabam sequestrados e colocados para viver na Ilha de Madagascar, no meio da floresta selvagem.

O enredo traz grandes aventuras e conta com um humor para todos os públicos. Além disso, é composto por três sequências (Madagascar 1, 2 e 3) que você pode maratonar com a família sem medo!

2. Shrek

Um clássico atemporal, Shrek é um filme que conquista o coração das crianças, jovens e até adultos. Apesar de não ser novo, a história é completamente envolvente. 

Neste filme, Shrek, que é um ogro vivendo em um pantano, tem seu sossego atrapalhado por personagens de contos de fadas que foram banidos de seu reino por um Lorde malicioso. Disposto a querer a sua paz de volta, o ogro decide ajudar os personagens a derrotar o reino do mal e acaba se tornando um amigo fiel de todos eles. 

Existem ainda Shrek 2, 3 e Shrek para sempre, o último da sequência.

3.  Enrolados

Este filme conta uma versão da história de Rapunzel, que presa dentro de sua torre com seus longos cabelos, faz um acordo com um bandido (também prisioneiro) e juntos armam uma fuga para viver as mais diversas aventuras.

O filme Enrolados tem outras duas continuações, um curta-metragem e um seriado: respectivamente Enrolados para Sempre e Enrolados Outra Vez.

4. Soul

Um dos filmes que traz uma bela reflexão sobre a vida e deixa o coração quentinho é Soul. Ótimo para assistir com toda a família, o filme aborda a vida de Joel, um professor de Jazz que morre sem ter a vida que esperava ter tido.

Ao chegar em outra dimensão e ter como objetivo fazer outra pessoa encontrar o seu propósito, ele acaba descobrindo o verdadeiro sentido da sua vida.

5. Divertidamente 

Com uma ótima referência a pontos importantes da psicologia, o filme Divertidamente traz um compilado de reflexões acerca da inteligência emocional. O enredo conta com personagens que representam sentimentos como: tristeza, alegria, raiva, nojo e medo.

Dentro da sala de controle do cérebro de Riley, que é uma garota de onze anos, os sentimentos interagem entre si agindo de acordo com as emoções vindas do ambiente externo à personagem.

6. O pequeno príncipe

Sim! O pequeno príncipe também tem a sua versão em filme, aliás, tem algumas versões. A nossa dica é a animação de 2015, que conta a história de uma garota que ao encontrar e conversar com um certo Aviador, conhece o mundo do pequeno príncipe, uma história cheia de lições para todas as idades.

Além de ser um ótimo filme que nos ensina sobre a vida, é também um ótimo livro que vale a pena ler. E adivinha só? Você pode encontrá-lo em nossa lojinha virtual.

Aproveite o seu  tempo, divirta-se e curta muito com nossas dicas de filmes para assistir em família! 

[+] LEIA MAIS