Como usar livros para aprender uma língua estrangeira?

Usar livros para aprender uma língua estrangeira pode ser um bom caminho para uma aprendizagem eficiente do idioma. O conselho vale para crianças, jovens, e até mesmo adultos.

A leitura tem um poder fascinante na vida do indivíduo, ela ajuda na absorção do conhecimento, auxilia na interpretação, produz novas percepções sobre diversos assuntos e também influencia no bem-estar.

Ler faz parte do nosso cotidiano e diariamente precisamos usar a nossa expertise para aprender novos conteúdos e discernir situações através da leitura. No entanto, ler livros pode nos auxiliar em um compilado de atividades, entre elas, a aprendizagem de uma nova língua.

Como usar livros para aprender uma língua estrangeira?

Uma das práticas mais famosas para quem quer aprender um novo idioma é tentar inserir a língua desejada em atividades que já temos o costume de escutar/ler/assistir. Essa prática pode ajudar na compreensão e entendimento, uma vez que já estamos habituados com a dinâmica das tarefas em questão.

Todo mundo tem um livro favorito, não é mesmo? Algumas pessoas costumam até mesmo saber as falas dos personagens de cor e gostam de relê-las periodicamente.

Ler uma versão desses livros preferidos no idioma que está tentando aprender é uma ótima dica para quem está no processo de aprendizagem de uma língua estrangeira. 

Dessa forma, a associação do conteúdo é realizada de forma mais clara e fácil por ser algo em que já é familiar para pessoa em questão.

Com qual livro começar?

Para usar livros para aprender uma língua estrangeira você pode seguir por três caminhos:

Livros infantis

Por usarem uma gramática de fácil compreensão são os mais indicados para quem está iniciando o aprendizado de outra língua e está no nível básico. Nesse tipo de leitura é comum encontrar expressões que são bastante utilizadas e entendê-las com mais facilidade pela presença de ilustrações (muito comuns nesse gênero literário).

Livros favoritos

Se uma pessoa tem como seu livro favorito Harry Potter, por exemplo, tentar lê-lo em outro idioma pode ajudar muito na associação do conteúdo. Mas claro, a leitura de livros como este são mais complexas, sendo indicadas para quem quer aprender a língua, mas já está em um nível superior ao básico em questão de aprendizado.

Uma tática importante nessa situação é fazer a comparação entre as duas versões do livro, uma em sua linguagem nativa e a outra na que está tentando aprender.

Confira a nossa loja virtual

Queremos te ajudar nessa jornada! Se você é pai ou mãe, seu filho está no processo de aprendizagem de uma nova língua, e você quer ensiná-lo a utilizar os livros como auxílio no estudo de outro idioma, você está no lugar certo.

Na nossa loja virtual você encontra dois clássicos em edições bilíngues! O pequeno príncipe e também Pollyanna e Pollyanna Moça! Não perca essa oportunidade de incentivar quem você ama!

[+] LEIA MAIS

Livros com protagonistas negras: entenda a importância da representatividade na literatura

No Brasil, o dia 13 de maio é lembrado como o Dia da Abolição da Escravatura, que deu fim ao regime escravocrata, ocorrido em 1888. Por ter sido um dos últimos países da América Latina a abolir esse modelo de seu território, até hoje a data é destinada a refletir sobre a negritude na sociedade brasileira. Uma forma de inserir o tema em sua casa são livros com protagonistas negras, em que a representatividade é latente.

Representatividade negra na literatura 

Com a presença de livros que trazem personagens negras, crianças que se identificam com as protagonistas podem se ver representadas nas histórias e também os seus problemas. Assim, não se sentem sozinhas e podem descobrir novas fontes de inspiração.

Livros com protagonistas negras também podem ser fontes de ideias para despertar o interesse de pequenos escritores, que também querem contar suas histórias. Discutir sobre preconceito e racismo com as crianças pode ser algo mais simples apresentando livros que tratem o assunto, mas de forma divertida e adaptada aos leitores mirins.

Dicas de livros com protagonistas negras

Agora que você já sabe da importância da representatividade negra dentro da literatura, que tal conferir algumas sugestões de livros com protagonistas negras que trouxemos para ler com seu filho?

Manuela

Escrito por Regina Rennó, o livro Manuela conta a história de uma menina negra que foi adotada muito pequena. Aos poucos, a jovem menina percebeu que o seu tom de pele era diferente de seus pais. Com essa história, os pequenos verão como o respeito é essencial para relações familiares e que diferenças como a pele não diminuem o amor e carinhos que pais sentem pelos filhos.

Que cabelo é esse, Bela?

De forma divertida e instigante, em Que cabelo é esse, Bela?, a autora Simone Mota conta sobre a importância da quebra de preconceitos e de padrões de beleza em nossa sociedade. Na história, a menina Bela, junto com seus amigos, adorava brincar com a água que caía do céu. Como o cabelo da protagonista brilhava com as gotas de chuva, muitos achavam que ela tinha poderes mágicos, mas para alguns, virou motivo de zoação. Ao descobrir que seu poder mágico veio de sua tataravó, uma mulher escravizada, cabe a Bela renunciar esse poder ou não.

Pretinho, meu boneco querido

Se integrar em um novo grupo pode ser uma tarefa difícil quando os demais veem que uma pessoa é diferente deles. É isso que acontece com o boneco Pretinho logo após o aniversário de oito anos da pequena Nininha. Em Pretinho, meu boneco querido, temas como ciúme e preconceito são apresentados por meio de brinquedos que se sentem esquecidos pela chegada do novo integrante. Com novas ilustrações, essa comovente história da escritora Maria Cristina Furtado traz para as crianças o debate sobre formas de discriminação de maneira leve.

Aquilo que ninguém vê

Aquilo que ninguém vê traz, por meio de uma história ficcional, uma homenagem às mulheres anônimas de nossa história. No enredo, André e Benjamin coincidentemente dividiram uma história na infância. Benjamin se lembra de André com carinho; André, no entanto, guarda traumas do encontro que mudou os rumos de sua vida. Para tirar essa história a limpo e sensibilizar Benjamin, André conta toda a saga das mulheres de sua família: começando por sua tataravó Sange, trazida para o Brasil como escravizada, passando por Benedita e depois Amélia, que rompeu com a escravidão e encontrou em Anália Franco uma mãe adotiva. Anália revolucionou a educação brasileira, acolhendo a todos sem distinção em um tempo em que a cor da pele determinava quem era cidadão. 

DESCUBRA: Livros para aumentar a autoestima de crianças e adolescentes

A indicação de bons livros com protagonistas negras aos pequenos é uma boa forma de conhecerem novas histórias e se verem presentes em narrativas que são inspiradas na vida real, mostrando que em uma sociedade justa e sem racismo, deve haver espaço para todos.

[+] LEIA MAIS

Saiba como ajudar seu filho a estudar em casa e seja o professor que ele precisa

Você está precisando de ideias sobre  como ajudar seu filho a estudar em casa? Então para começar, antes de conferir nossas sugestões, pense: se você pedisse ao seu filho para lhe dizer o que quer em um professor, o que acha que ele responderia? 

Se quiser, vá em frente agora e pergunte. Gostaríamos de te auxiliar a pensar como ajudar seu filho a estudar em casa. Se fizéssemos uma pesquisa sobre as características que as crianças realmente apreciam em um professor, provavelmente ouviram frases como:

  • Ele é legal;
  • Não grita comigo;
  • Me ouve;
  • Se importa de verdade;
  • Fica feliz quando acerto algo e tem orgulho de mim;
  • Torna o aprendizado divertido.

Essas são qualidades que não dizem respeito exclusivamente a técnica de ensino, mas sim com a relação entre professor e aluno. 

Então, como ajudar seu filho a estudar em casa? 

Nos altos e baixos da rotina diária, às vezes ficamos tão focados em ensinar e “melhorar” nossas crianças, que nos esquecemos de dizer a elas o quanto são importantes e o quanto acreditamos no potencial delas.

“Tá, mas se meu filho não quer estudar, o que fazer?”. Crie um ambiente onde pais e filhos aprendam juntos, pois o incentivo positivo tem um poder enorme. Todo mundo ama estar com pessoas que nos encorajam, nos levantam e nos motivam a alcançar o além. Seu filho não é diferente. Se ele se sentir desanimado, tente o apoio incondicional para que volte aos trilhos.

Dicas para os pais ajudarem os filhos nos estudos

Trate o tempo de aula como especial

Nesse processo de como ajudar seu filho a estudar em casa, vocês passarão muitas horas juntos. É uma grande oportunidade para encorajar e desenvolver habilidades sociais, pessoais, acadêmicas. É o momento de vocês!

Reforce o positivo e sorria

Não seja como um general. Pense na diferença que um sorriso faz na sua vida quando está se sentindo frustrado. Para uma criança desanimada, ele comunica que está tudo bem e que juntos vocês vão conseguir. Assim como apontar os erros, é importante reforçar os acertos. Ao  mostrar os caminhos que os levou até a conquista, maior a probabilidade de seu filho repetir. 

Evite comparações

Pressão e comparação com outras crianças não irá ajudar seu filho a estudar em casa e, geralmente, leva à frustração e desânimo. 

Outra dica, ouça seu filho. Ouvir atentamente permite que ele saiba que você está envolvido e presente na conversa, consequentemente, sente-se compreendido, confortável e valorizado.

O poder do ainda

Quando ele estiver desanimado porque não entende algo, repita o motivo  do desânimo acrescentando a palavra “ainda”: “você ainda não entendeu isso.” Também é válido mostrar o quanto já foi avançado: “você já leu METADE deste livro inteiro!” ou “você já fez tudo isso”. 

Tem alguma dica extra de como ajudar seu filho a estudar em casa? Conta pra gente!

[+] LEIA MAIS

Brincalelê! Gire, recorte, movimente, desenhe e cole!

Brincalelê! Nossa família inventadeira de histórias. Histórias que viram brincadeiras, brincadeiras que viram histórias, com dicas de Penélope Martins

Gire, recorte, movimente, desenhe e cole!

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar! Você sabe o que é uma quadrinha? 

As quadrinhas são trovas de poesia criadas com rimas simples em quatro versos. Por utilizarem uma linguagem cotidiana, as quadrinhas são facilmente memorizadas pelas pessoas. 

Repetida ao longo dos anos por muitas gerações, a poesia popular compõe uma tradição cultural. Com humor, ironia, também como declarações de amor, os versos embalam inúmeras brincadeiras de infância.

Vamos lá, é hora de dar a meia volta e começar a girar!  

Primeiro passo

Pesquise cantigas de roda e brincadeiras da tradição que utilizam quadrinhas para compor um desafio. 

Por exemplo, a parlenda “Passa, passa, três vezes” pode embalar um jogo para brincar em grupo enquanto todos cantam a cantiga: 

Passa, passa, três vezes

O último que ficar

Tem mulher e filhos

Que não pode sustentar.

Qual delas será

A da frente ou a de trás

A de frente corre mais

E a última restará!

Sabe brincar? O grupo pode se organizar em círculo e passar um objeto de um para o outro até o final da cantiga. O objeto pode ser passado com uma regra de movimento, por cima da cabeça, pelo lado direito, por debaixo das pernas e por aí vai. Quem restar com o objeto na mão, vai para o centro da roda esperar até que sobre apenas um. 

Segundo passo

Você pode criar brincadeiras com outras parlendas. Uma sugestão é cantar e substituir as palavras com movimentos. 

Sugestão:  com a cantiga peixe-vivo, a palavra peixe pode ser cantada da primeira vez e, em seguida, substituída por um movimento das duas mãos juntas imitando um peixe nadando no rio. Cada vez que a música se repetir, outras palavras poderão ser substituídas por um novo movimento e o grupo terá que memorizar cada uma dessas ações até o final do jogo.

Terceiro passo:

Papéis coloridos, tesoura e cola, lápis de cor e uma maneira divertida de relembrar as cantigas. Utilizando suas técnicas de desenho favoritas, cada pessoa do grupo pode escolher uma quadrinha para ilustrar com sua obra de arte. Depois disso, é só preparar a exposição em uma parede da casa. Mãos à obra!

Prêmio da Família:

É hora da história, todo mundo junto. Sentados no chão em círculo ou esparramados sobre almofadas, a brincadeira pode seguir com a leitura de quadrinhas. O que será que tem de poesia na sua estante, hein? 

Dica de leitura Brincalelê! 

Com a Coleção “Não é a mesma coisa?”, de Sinval Medina e Renata Bueno, sua família encontrará um momento perfeito de brincadeira com a linguagem escrita e ilustrada. As palavras vão provocar os leitores a usar a inteligência decifrando o mistério dos trocadilhos, além de se divertirem com rimas deliciosas e bem humoradas.

As ilustrações misturam desenho com colagem e podem inspirar todo mundo a trabalhar com papel, lápis e tesoura. Divirtam-se!  

[+] LEIA MAIS